Skip to content

Confira como foi o Exame Nacional do Ensino Médio 2013

enem-2013

Foi realizado nos dias 26 e 27 de Outubro o Exame Nacional do Ensino Médio 2013.  Mais de 5 milhões de inscritos fizeram as provas com 180 perguntas e uma redação no final de semana dos dias 26 e 27 de outubro. Neste ano, o Enem foi realizado em 1.661 cidades brasileiras. O Ministério da Educação (MEC) informou que o resultado da edição de 2013 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será publicado na primeira semana de janeiro de 2014. No ano passado, o resultado foi divulgado no final de dezembro.

O MEC também disponibilizou os gabaritos oficiais do Enem 2013, divididos por dia e cor de prova. Os participantes não poderão entrar com recurso contra os gabaritos. Assim como no Enem 2012, os cadernos de provas não foram divulgados junto com os gabaritos. Os espelhos das correções das redações do Enem 2013 serão liberados em fevereiro, mas apenas para fins pedagógicos. O MEC reverteu na Justiça todas as decisões que davam direito ao participante entrar com recurso contra a nota da redação. Desde 2009, foram 13 ações civis públicas contra o Enem.

O estudante Rodrigo Soares fez o ENEM esse ano objetivando concluir o curso de Engenharia Mecatrônica, e considerou a prova dentro do esperado. “Foi bem tranquilo no local onde fiz minha prova, e isso contribui pra criar um clima propício para se concentrar e ter um bom desempenho. Para quem estuda o ano inteiro para passar, é importante não passar por chateações desnecessárias”, contou Rodrigo.

foto 2

Ingridy Castro

Mas nem todo estudante que presta o ENEM busca ingressar uma instituição de ensino. “Desde 2010 eu faço o ENEM todo ano, pra ter um nivelamento, ver como eu estou em relação a outros estudantes”, afirmou a estudante Ingridy Castro, confiante que obteve um bom desempenho “Física e Química acho que não fui muito bem, mas no mais acho que foi tranquilo, principalmente para quem faz cursos específicos”. A estudante Tainá Voltas também fez a prova por nivelamento: “Quando matriculei no ENEM, eu tinha intenção de mudar de curso. Ao longo do ano, abandonei essa ideia, mas quis fazer o ENEM mesmo assim, para ver como me sairia.”


Preparação

Buscando se preparar para fazer a prova, Rodrigo começou os estudos no início do ano. “O melhor jeito de lidar com o volume de material pra estudo é dividir em um cronograma e seguir a risca. Agora é esperar pelo resultado”.

Para a orientadora vocacional do Colégio Cristo Redentor Leda Maria Mansur Lisboa, “o processo preparatório para o ENEM começa na escola. A prova do ENEM não era tão conteudista, agora está muito. Mas ela envolve vivências também, leitura de atualidades, interpretação de texto e escrita. Então, desde pequenos, os alunos precisam trabalhar muito bem com a interpretação, com a leitura…”. O colégio oferece, na preparação do aluno, palestras sobre questões de atualidade. Esse ano, foi oferecida uma palestra envolvendo as questões éticas das revelações de espionagem dos EUA. “Mesmo que as vezes essa temática da palestra não venha a ser relacionado a redação, as questões de atualidade sempre estão presentes na prova, e esse pode ser um diferencial”.


Estudante desmaia na correria para não se atrasar


O dia

Entre os 7,1 milhões de inscritos, mais de 2 milhões não compareceram para fazer o exame. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), os ausentes custaram aproximadamente R$ 58 milhões aos cofres da nação. Uma fatia dos ausentes corresponde aos alunos que chegaram atrasados. Rigoroso com o horário de fechamento dos portões, todo ano se repetem as cenas de alunos chegando segundos após o fechamento dos portões. Ciente disso, Rodrigo chegou a prova com uma hora de antecedência. “Depois de tanto esforço, não tem como dar brecha para atrasar. É melhor chegar bem adiantado e com calma, para poder já começar a prova com a matéria bem revisada e fresca na cabeça”.

A universitária Ludmilla Castro foi fiscal no ENEM desse ano, e foi uma das responsáveis por aplicar a prova na Faculdade Suprema, onde mais de mil alunos realizaram as provas. “Foram cerca de 30 salas, cada uma com no mínimo um chefe de sala e um aplicador, 100 pessoas estavam envolvidas sendo chefe de sala, aplicador, fiscal de banheiro, fiscal de corredor, coordenadores e orientadores”, contou Ludmilla, que não presenciou grandes problemas na fiscalização. “No segundo dia uma menina teve um ataque epilético em umas das salas, rapidamente ela foi atendida e os demais alunos não foram prejudicados, depois de medicada ela finalizou sua prova em uma sala especial, ela inclusive poderia pedir um tempo adicional o que não foi necessário.”


A prova

O caderno de provas do primeiro dia do Enem teve 45 questões objetivas de Ciências Humanas e suas Tecnologias (geografia, história, sociologia e filosofia) e 45 de Ciências da Natureza e suas Tecnologias (biologia, física e química).

No segundo dia de provas, os candidatos tiveram que fazer uma redação com o tema “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil” e responder 90 questões objetivas divididas igualmente entre Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (português, literatura e inglês ou espanhol) e Matemática e suas Tecnologias.

O diretor do curso preparatório CAVE, Lawrence Gomes, analisou a prova de acordo com as opiniões de professores e alunos do curso “A avaliação que tivemos foi que a prova esse ano foi mais conteudista. A prova de Biologia teve uma incidência maior de questões de genética (um terço da prova), a prova de Física e de Química foram mais puxadas. Geografia veio dentro de um parâmetro que já se observava em outros anos. Sociologia e Filosofia surpreenderam pela dificuldade também, dando a entender que essas matérias tenham de ter um foco maior pelas escolas. A prova de História foi uma prova mais cansativa por trabalhar muito com co-relações. No segundo dia de prova, a Matemática mesclou questões mais fáceis e questões mais complicadas, a prova de Português como sempre exigiu muita leitura, e foi muito truncada, de difícil entendimento, exigindo que o estudante fosse e voltasse no texto várias vezes”.

Redação

A redação do Enem 2013 será avaliada por duas corretores entre os mais de 4 mil contratados. A discrepância entre as notas de ambos não poderá ultrapassar 100 pontos no total ou 80 pontos em uma competência — no ano passado, o limite era de 200 pontos no total. Quando a diferença for superior ao limite, a redação passará por um terceiro corretor.

Se o terceiro corretor não chegar a um acordo com os outros dois avaliadores, a redação será corrigida por uma banca composta por três corretores, presidida por um doutor. Essa banca também é acionada para examinar as redações com nota máxima (1.000). A partir do Enem 2013, as redações que apresentarem algum tipo de deboche serão zeradas.

foto 1

Tainá Voltas

“Não esperava uma redação com esse tema, acho que haviam temas mais atuais e que pudessem ser abordados e discutidos de forma mais profundas. Acho que o tema foi muito fácil, mas talvez justamente por isso eles busquem um diferencial nas redações”, contou Tainá.

Lawrence criticou a temática da prova “um tema como esse vai impedir do estudante fugir do lugar-comum. Não existe uma solução a ser bolada – a lei Seca já vem como proposta de solução para a embriagues no transito. Assim, não se tem novidades quanto ao tema, o aluno não consegue sair do lugar-comum, e essa dificuldade vai gerar pouca discrepância de nota. A redação vai ser pouco capaz de distinguir um aluno com um médio preparo de um com um bom preparo. A tendência é que haja uma convergência dessas notas”.

Repercussão

a7vtllfrzfkapndauvy48dj6e

NanoKid

Assim que os primeiros candidatos começaram a deixar os locais de prova, se iniciou por todo o país a repercussão do ENEM nas Redes Sociais e Sites de Notícias.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que mais 36 candidatos que publicaram fotos do cartão de respostas na redes sociais foram desclassificados do Enem. Mercadante disse que a equipe do ministério monitorou quase 2 milhões de tuítes ao longo desses dias.

Uma figura curiosa fez parte da prova esse ano. O NanoKid: um conjunto de moléculas que, da forma como disposto, parece um boneco abrindo os braços. A figura apareceu em uma das questões da prova de Ciências da Natureza, no sábado (26). Isso foi o suficente para que os candidatos extravasassem sua criatividade e fizessem montagens com a imagem no próprio caderno de questões.  Miley Cyrus, Harry Potter e Darth Vader foram alguns dos homenageados pelos alunos. Confira em nossa galeria.

Um aluno do 2º ano de ciências contábeis da USP se passou por candidato atrasado do Enem no último domingo. Flávio Renato de Queiroz Segundo, 20, fingiu que perdeu a prova e deu entrevistas comentando o falso episódio. A cena aconteceu nos portões da Uninove, em São Paulo. Ele não se diz arrependido. “A imprensa é muito ingênua”.

 

 

 

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: