Skip to content

Forte temporal atinge Juiz de Fora; saiba o que fazer no período chuvoso

Foto de Ana Paula Luz.

Choveu 71mm na tarde de ontem, 15% do esperado para todo o mês de dezembro. Foto de Ana Paula Luz.

Rômulo Krause
Publicado em 11/12/13

Moradores da cidade de Juiz de Fora sofrem todos os anos com a chegada da estação chuvosa.  O último exemplo foi na tarde de ontem, 10, quando a precipitação atingiu 15% do volume esperado para todo o mês de dezembro. Ventos de até 91km/h e raios derrubaram árvores e interromperam o fornecimento de energia em várias regiões da cidade, incluindo a Avenida Rio Branco e a Rua Halfeld, na região central. Vários pontos de alagamentos foram registrados, parando o trânsito.

Existem, porém, várias formas de minimizar as consequências dos alagamentos.  A principal recomendação do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil é jamais tentar enfrentar uma enchente, permanecendo em casa ou abrigo desde que esse não esteja em uma área de risco.

Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, moradores de áreas de encosta devem observar rachaduras em paredes, tijolos, concreto, ou no chão, afundamento do solo e barulhos na residência, como se a estrutura rangesse. Esses são sinais que podem significar que o terreno não está estável e, se notados, deve-se abandonar o local imediatamente.

Alagamentos e enchentes

Foto: Josiane Rodrigues

Pedestres se protegem da enxurrada no Bairro Granbery.

Grande parcela dos resgates das vítimas ocorre, segundo os bombeiros, entre pessoas que tentaram enfrentar a enchente de alguma forma. No início do ano um garoto de 8 anos morreu afogado após ser arrastado por uma enxurrada no Bairro Santa Luzia, Zona Sul de Juiz de Fora. Kauan saia da escola quando foi levado pela água e acabou preso embaixo de um carro.

Se estiver no carro, o motorista deve procurar um local alto e esperar o nível da água baixar. Não é aconselhável parar o veículo próximo a postes ou arvores, deve-se evitar também passar por poças de água, que podem facilmente esconder crateras. Se o local começar a encher, motorista e passageiros devem deixar o veículo e seguir para um lugar seguro.

Raios
Para se proteger das descargas elétricas, comuns nos períodos chuvosos, os locais mais adequados são o interior de carros, ônibus ou edificações. Ainda é possível avaliar  a proximidade do raio: cada três segundos de diferença entre a descarga e o som representam 1 km de distância. Também é importante evitar barracas de praia, árvores, pontos de ônibus, janelas, campos abertos, alambrados e quaisquer pontos altos. O telefone fixo deve ser utilizado apenas em casos de emergência. Aparelhos devem ser desligados diretamente na tomada.

Falta de energia
A falta de energia ocasionada pela chuva pode parar a operação de elevadores de prédios. Caso fique preso em um deles, jamais saia sem a ajuda do Corpo de Bombeiros ou da equipe de manutenção do próprio elevador.

“Muitas vezes as pessoas saem do elevador com o auxílio do porteiro, mas a energia pode voltar e o elevador começar a se mover com a pessoa tentando sair. Isso pode levar a um acidente gravíssimo. Só se pode sair do elevador com a energia totalmente interrompida”, orienta o 4º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Juiz de Fora.

Prevenção
Melhor que agir na hora de uma enchente, é preveni-la. Para isso deve-se manter ralos e calhas limpos, para que o fluxo de água não seja interrompido. Manter ruas e bueiros limpos não é papel apenas dos órgãos municipais: não jogue lixo em calçadas, rios, córregos ou galerias.

Na hora da limpeza
Limpe os locais atingidos pela água e lama sempre usando botas e luvas evitando assim doenças graves, como a leptospirose. Nunca reaproveite alimentos que possam ter sido atingidos pelas águas das chuvas, mesmo os que estejam fechados em pacotes, algumas embalagens podem ser de material absorvente. Febres, diarreia, vômitos e dores de cabeça ou no corpo, após o contato com águas de inundação, podem indicar doenças, como a leptospirose e hepatite A.  Nesses casos, a pessoa deve ser encaminhada ao posto de saúde mais próximo imediatamente.

Galeria: veja fotos do temporal de ontem (10).
Cinquenta ocorrências foram registradas pela Defesa Civil entre as 17h de terça-feira (10) e as 8h30 de quarta.

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: