Skip to content

Ações contra dengue já entram em vigor

Com a aproximação do verão, que tem data para iniciar no dia 21 dezembro, Juiz de Fora já se preocupa em promover ações para combater a dengue e controlar seus vetores. A mobilização preventiva começou mais cedo pelo fato da doença ser mais intensa neste período de chuvas facilitando a proliferação do mosquito aedes aegypti, que é o transmissor.

Segundo o Dr. José Laerte,  o avanço repentino que a doença teve em Juiz de Fora no início do ano beirou o “caos” e, sendo assim, ele não deseja a mesma situação para 2014. Ele alerta que se medidas estratégicas contra a dengue por parte do Executivo não começaram nfotoesse mês que antecede Dezembro, a cidade corre o risco de se encontrar diante de uma situação sem controle no final do ano e com um número elevado de óbitos.

José Laerte identificou em que ponto está a falha da secretária de saúde no verão passado. E disse que não pretendem errar novamente. Era feito um mapeamento de Juiz de Fora, com todas as exigências listadas, com o acompanhamento da Superintendência Regional de Saúde. Foi feita uma varredura de quadra em quadra, cujo resultado não tem chance de estar equivocado. “Nos anos anteriores, tal pesquisa era feita utilizando a divisão territorial do Programa de Saúde da Família (PSF). Neste programa não é englobada a cidade inteira. Este é o ponto. O que acontece é que possuímos regiões sem unidade de referência. Por isso, várias áreas ficaram sem avaliação e, consequentemente, sem tratamento necessário”, revelou o médico.

No áudio abaixo, José Laerte explica quais são os planos para a dengue e o verão de 2014 em Juiz de Fora segundo os dados do Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes Aegypti (Liraa). Ele garante que a Secretaria de Saúde está se preparando para evitar a dengue em todas as situações possíveis.  Caso a doença atinja o nível de uma epidemia, a prefeitura também está preparada.

Atualmente, existem pouco mais de 90 agentes de combate a edemias atuando na cidade para acabar com o Aedes Aegypti em mais de 180 mil residências. Na realidade, para corresponder à demanda de Juiz de Fora, o ideal seria ter em torno de 230 profissionais treinados. O que preocupa realmente é o fato dos atuais agentes trabalharem sem equipamento. Dificultando ainda mais a excelência no processo.

Dando continuidade às ações de combate e prevenção à dengue na cidade, a Secretaria de Saúde realiza palestras em escolas, instituições e estabelecimentos em toda a cidade. A tarefa de eliminar os focos de dengue é muito mais um esforço conjunto entre a população e as equipes de saúde.  Mas ainda assim, tais ações enfrentam resistência da população no trabalho sistemático de visitação a residências, já que muitos juiz-foranos se sentem inseguros e impedem a entrada destes profissionais em muitos lares. Além de cuidar do quintal, da área externa das casas, é necessário ficar atento aos vizinhos e suas práticas e o que fazem para evitar a dengue. Se ficar claro que não há um esforço de todos, é preciso denunciar. O Disque Dengue existe pra isso e o número é 3690-7290.

Neste link, a aposentada Cláudia Pereira, moradora da Zona Leste de Juiz de Fora mostrou como ela vem se preparando contra a dengueDSC00633 para este verão. A sua residência possui um terreno extenso com focos variados propícios à doença. Segundo Cláudia, caso não houver mobilização por parte dela, até mesmo seus vizinhos estarão correndo risco de infecção e esta responsabilidade ela não quer carregar.

Denúncias de suspeitas de focos e imóveis abandonados que possam contribuir para a proliferação do mosquito devem ser feitas às equipes de Endemias. Após o chamado, agentes de endemias visitarão o local para verificar se a denúncia procede, vistoriar os possíveis criadouros e também realizar o tratamento focal dos mesmos.  No áudio abaixo a funcionária pública, Cláudia Valssis, que mora no bairro Marumbi, conta como estão sendo tomadas as providências por lá.

As expectativas são positivas e agora é aguardar os efeitos das ações de prevenção.

E vale lembrar que a secretaria de Saúde alerta que para qualquer tipo suspeita de foco da doença, imediatamente deve haver a denúncia.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: