Skip to content

É viável trabalhar com artesanato em Juiz de Fora?

por Laís Cerqueira, postada em 30/04/2014

O artesanato é uma técnica manual que existe desde a pré-história. Desde aquela época, em que se confeccionavam objetos através de elementos como ferramentas rústicas e cerâmica, o artesão — aquele que elabora seu trabalho com as mãos — passou a ser considerado um artista e, os produtos de artesanato, obras de arte.

Mesmo com o prestígio, a profissão de artesão ainda é considerada autônoma. Dessa forma, é comum ver adeptos do artesanato usando seu dom como uma forma de trabalho independente, enquanto possuem uma fonte de renda paralela.

Segundo Rosângela Costa, artesã juizforana, é raro ver um artista que se sustente somente com o dinheiro do seu artesanato. Ela faz parte há sete anos da Associação de Artesãos do São Mateus, alega que o mercado da cidade é complicado e que a ocupação, mesmo prazerosa, pode ser instável. Confira, no áudio abaixo, um trecho da entrevista com Rosângela. Nele, ela discorre sobre as dificuldades enfrentadas pelos artesãos, os recursos encontrados pelos mesmos e o lado bom da profissão.

Feira de Artesanato no bairro São Mateus (foto: Divulgação)

Feira de Artesanato no bairro São Mateus (foto: Acessa.com)

A Associação de Artesãos de São Mateus teve sua criação, feita em 1997, motivada justamente para auxiliar nas condições de trabalho dos artesãos de Juiz de Fora. Através do seu intermédio, há 16 anos, ocorre a Feira Permanente de Artesanato do bairro São Mateus, localizado na zona central da cidade. “A feira funciona todo sábado, de 8h às 14h”, informa Rosângela. Para conhecer os artistas que expõe seus trabalhos, clique aqui. “Além disso, fazemos outros eventos, como vai acontecer agora, que vamos fazer uma exposição nesse próximo dia das mães, e como acontece quando viajamos para Bicas.”

Por ser um tipo de arte que se contrasta com o modo de produção predominante atualmente no mercado mundial — que se caracteriza como industrializado e mecânico –, o artesanato vem ganhando espaço entre os consumidores. Ainda assim, em Juiz de Fora, a questão torna-se um pouco mais complexa, uma vez que a cidade não conta com artesanato típico regional. A Associação de Artesãos afirma, no entanto, que esse fato pode se trazer uma boa questão para os artistas que aqui divulgam seu trabalho, sendo possível, assim, utilizar uma “diversidade de técnicas” e de materiais utilizados.

Eventos de incentivo promovidos pela prefeitura de JF

feira realizada durante o Bazarte (foto: Divulgação)

feira realizada durante o Bazarte (foto: Divulgação)

A representante da Fundação Cultural Alfredro Ferreira Lage (Funalfa), Bianca Ferreira, explica que a Prefeitura se empenha em realizar eventos voltados para os artesãos. “Costumamos fazer duas feiras por ano, uma durante o Corredor Cultural e outra no Bazarte”, indica. “Esse ano, também vamos realizar uma dentro da Festa das Etnias, que está na programação do Maio Cultural.”

“É um momento para eles exporem o trabalho deles”, aponta Bianca.. A gente sempre tenta atrelar as feiras de artesanato com outras atividades, para possibilitar que pessoas que talvez não posuam o hábito da compra de produtos artesanais possam conhecer as obras deles. É um moemento bom. Eles mandam trabalhos, se conhecem, e isso tudo possibilita o intercâmbio entre eles, além de ser uma boa vitrine.”

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: