Skip to content

Falhas e brechas na legislação dificultam implantação da TV digital no Brasil

Lucas Bernardino
Publicado em 09/12/13

Na manhã do último dia 4 de dezembro, no Anfiteatro da Faculdade de Comunicação Social, a professora Iluska Coutinho (UFJF) foi a mediadora da mesa com o tema: “Regulamentação e Experiências na TV Digital”. De um lado, o professor Murilo César Ramos, que buscou contextualizar historicamente a regulamentação da TV no Brasil, desde seu surgimento até o início da TV a cabo. Do outro, Ana Sílvia Médola, com as experiências obtidas na TV UNESP, de Bauru-SP.

Integrantes da mesa fizeram histórico da TV e trouxeram experiências recentes

Integrantes da mesa fizeram histórico da TV e trouxeram experiências recentes. Foto: Lucas Bernardino

O professor de comunicação e doutor da Universidade de Brasília, Murilo César Ramos, destacou o rápido crescimento do setor no país. Num dado momento, o que interessava na TV do Brasileiro era se o sinal estava bom ou não; de uma hora para a outra, passou-se a discutir sobre fibra ótica.

O professor falou bastante a respeito da parte legislativa da comunicação e dos bastidores durante o governo Lula, passando pela criação da TV pública e da Ancine. Ao concluir, destacou o crescimento da tecnologia móvel, que engloba a internet e os celulares, tornando os dispositivos móveis uma forma acelerada de se obter informação. Na opinião do professor, a TV está perdendo espaço para a tecnologia móvel.

Do outro lado da mesa, a também doutora Ana Sílvia Médola, da TV UNESP, de Bauru-SP, continuou com o pensamento de que a TV está sendo atropelada pela tecnologia móvel. Ana citou também as dificuldades enfrentadas para se sustentar uma TV Universitária, como a de Bauru, que tem de encarar muitas dificuldades em sua difusão. Foram citadas também as tentativas de tornar a TV algo mais interativo, como forma de recuperar a popularidade.

O debate culminou para o uso de novas frequências para TVs públicas e universitárias, além de discutir a prioridade de se encaixar a internet 4G nessas frequências.

Confira os detalhes na matéria de Angelo Tosta.

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: