Skip to content

Quanto você paga de impostos? Nova nota fiscal divulga os encargos tributários de cada compra

por Victor Carneiro

E se o seu salário deste mês fosse todo para você, livre de impostos ou encargos previdenciários? Você o receberia por inteiro, sem pagar impostos nem dos produtos que consome. Não, não é para comemorar. De certa forma, essa utopia tributária acontece a partir do dia primeiro de maio. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a partir do dia 31 de maio o brasileiro “começa a trabalhar para ele”. Com o número de dias necessários para “pagar os impostos” aumentando a cada ano, o brasileiro trabalhou, em 2014, 151 dias (cinco meses) para bancar os tributos.

O número impressiona qualquer consumidor. Na hora de cobrar os governantes por impostos mais justos, a informação é uma arma importante, e a partir da próxima semana, você poderá acompanhar diariamente os tributos que paga: todas as notas fiscais terão que indicar dinheiro que vai para o Estado.

A lei 12.741, que determina a divulgação na nota fiscal (ou em cartazes) os tributos de produtos e serviços, foi sancionada há um ano e meio pela presidente Dilma Rousseff, e os empresários brasileiros tiveram esse prazo para regularizar a emissão dos comprovantes. A aplicação e a fiscalização ainda não foram regulamentadas pelo governo federal mas a partir do desta segunda-feira, 09, as empresas que não cumprirem a medida podem ser notificadas.

Nas duas maiores redes varejistas da cidade, as notas contam com “valor aproximado dos tributos”

“No país em que se paga umas das maiores cargas tributárias do mundo, o mínimo seria informar o consumidor o quanto ele está sendo tributado”, diz o economista Gabriel Nascimento. Segundo o economista, uma das maiores dificuldades do sistema tributário brasileiro é a variedade _e a grande quantidade_ de impostos, divididos nas esferas municipais, estaduais e federais. “Podemos citar IPTU, IPVA, Imposto de Renda, PIS, IPI, ISS, contribuições previdenciárias, sindicais, taxas de limpeza pública, iluminação pública e coleta de lixo, entre alguns do impostos que pagamos”, lista o economista.

Na “nova” nota fiscal, deverão constar os valores do ICMS, ISS, IPI, IOF, PIS, Pasep, Cofins e Cide. No corpo da lei, os valores podem ser divulgados aproximadamente: “o valor ou percentual, ambos aproximados, dos tributos incidentes sobre todas as mercadorias ou serviços postos à venda”. Se a empresa optar pela afixação de cartazes, eles devem estar colocados em locais visíveis do estabelecimento ou em qualquer outro meio eletrônico.

Em Juiz de Fora, a maioria dos estabelecimentos pesquisados por nossa reportagem já adotaram a nota fiscal tributária.
Em Juiz de Fora, a maioria dos estabelecimentos pesquisados por nossa reportagem já adotaram a nota fiscal tributária.

“Valor aproximado dos tributos”

 Em Juiz de Fora, a maioria dos estabelecimentos pesquisados por nossa reportagem já adotaram a nota fiscal tributária, ou o fizeram em parte. Nas duas maiores redes varejistas da cidade, as notas contam com “valor aproximado dos tributos”, que em um biscoito comprado por RS1,75, por exemplo, chega a 31,42% em impostos.

 A dificuldade maior na implantação da lei está nos pequenos estabelecimentos, microempresário de Muriaé, Artur Genaro se preocupa com as multas e a fiscalização. “Cerca de metade das minhas vendas, de 30-50%, são feitas por clientes com conta, tiro a nota quando o cliente me paga no início de cada mês. Vamos tentar regularizar isso, mas tenho medo de perder clientes que compram ‘fiado’”, relata.

 O economista Gabriel Nascimento enxerga as dificuldades na implementação mas acredita nos objetivos da “nova” nota fiscal. “Agora com um ‘raio-x’ em mãos do que paga nos impostos, cabe o consumidor exercer seu papel de eleitor e escolher planos de governos com uma filosofias liberalistas, com menores taxas tributárias”. Em alguns produtos, os impostos respondem à quase 40% do preço final da compra, na nota fiscal de uma loja de cosméticos abaixo, o acessório de cabelo comprado tem 38% de tributos no seu valor. Confira no site a Sombra do Imposto, qual a porcentagem de tributos média em cada produto; na versão online do Impostômetro, você acompanha em “tempo real”os impostos sendo arrecadados pelo Estado. Veja abaixo, o quanto você paga de impostos em produtos de uso diário.

Em alguns produtos, os impostos respondem à quase 40% do preço final da compra.

Em alguns produtos, os impostos respondem à quase 40% do preço final da compra.

 

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: