Skip to content

Franquias são aposta de comerciantes juizforanos

Raíra Garcia – postado em 7 de maio de 2014

 

Até o julho do ano passado (de acordo com site), Juiz de Fora estava na casa dos 545.942 habitantes. Uma cidade desse porte exige um comércio completo, e uma saída que os empresários e comerciantes estão encontrando para atender à população é investir em redes franqueadas, que têm seus pontos negativos, mas são muito atrativas pelos pontos positivos. Por exemplo, uma franquia exige em média,

Júlio César, diretor das Óticas Diniz em Juiz de Fora - foto Raíra Garcia

Júlio César, diretor das Óticas Diniz em Juiz de Fora – foto Raíra Garcia

menos capital que uma loja própria, porém o franqueado não tem liberdade para inovar. Costumam ter um faturamento alto e têm baixos riscos, porém existe uma burocracia enorme para se conseguir toda a documentação necessária.

Em Juiz de Fora, são várias as lojas que são de redes franqueadas. Por exemplo, as Óticas Diniz, que no Brasil, são 750 lojas. Na cidade, atualmente só há uma loja e seu diretor, Júlio César Pontes, começou com o negócio há 20 anos. Júlio já havia trabalhado com negócio próprio antes de investir nas Óticas Diniz, mas resolveu ser franqueado da rede, e não de outra, por exemplo,  porque acredita na qualidade da marca: “ótica é um ramo que você precisa ter uma qualificação, então você precisa ter a parte técnica e as óticas Diniz não franquia unidade para quem não é do ramo, então dentro das Óticas Diniz nós não temos investidores, como ocorre em algumas marcas”.  De acordo com ele, a franquia exige uma experiência na área de quem se interessa em se franquear. Satisfeito com o resultado da marca na cidade, Júlio explica que o retorno do investimento vem em três ou quatro anos. Júlio explica que uma das vantagens de se trabalhar numa rede franqueada, com muitas lojas no país, é o preço e a qualidade dos produtos. “Nós precisamos de parceiros que dão suporte para 750 lojas. Não podem ser parceiros para uma, duas lojas, então são parceiros grandes, multinacionais, empresas que a gente busca um preço melhor E as grandes vantagens da franquia são preço, tecnologia, capacitação, a franquia não deixa você acomodar, fazemos mídia direto”.

Outra franquia na cidade, é o curso de idiomas Yes!, que tem na cidade mais de mil alunos. Diretora há sete anos da franquia em Juiz de Fora,

Gilmara Ferreira de Oliveira, diretora da Yes! em Juiz de Fora - foto Raíra Garcia

Gilmara Ferreira de Oliveira, diretora da Yes! em Juiz de Fora – foto Raíra Garcia

Gilmara Ferreira de Oliveira, que está no ramo há 22 anos, sendo 15 como gerente da extinta sede, na rua Santa Rita, se tornou franqueada a convite do presidente da Yes!, quando o antigo dono abandonou a marca. Hoje em dia, na cidade, são duas sedes, uma no centro e uma no bairro benfica. Com planos para abrir mais sedes, Gilmara aposta no curso oferecido pela escola da qual é franqueada porque a qualidade é alta e padronizada “Inglês é um conjunto de acertos. Aprender inglês hoje não é só estar numa boa metodologia: é você ter um professor qualificado e um aluno a fim de aprender. Precisa do triangulo funcionando: professor, aluno e metodologia”.  Gilmara concorda que o objetivo de uma empresa é arrecadar lucros, mas que existe uma responsabilidade mediante à educação: “O que nós buscamos hoje é que o aluno aprenda. Nós

Beatriz Sampaio, diretora da restaurajeans em Juiz de Fora

Beatriz Sampaio, diretora da restaurajeans em Juiz de Fora

não entregamos um diploma se você não tem condições. Há uma exigência muito grande da coordenação que os alunos só passem se tiverem condições de passar e não só porque ele está pagando”.

A restaurajeans é uma rede conhecida no país e que está instalada na cidade, nas mãos da atual direção, há um ano. A marca, que tem como foco renovação e restauração de roupas, tem como diretora Beatriz Sampaio Souza Lima, que administra o negócio ao lado da mãe. “Nós éramos clientes daqui e outro dia estava a venda. Minha mãe interessou e a gente foi procurar saber e ficamos com a marca”. Com investimento base de cem mil reais, Beatriz e a mãe, fizeram o curso da restaurajeans e depois de 15 dias trabalhando sob supervisão de um consultor, começaram a tocar o negócio e acreditam que em três anos terão o retorno do valor investido. Para Beatriz o grande diferencial da restaurajeans é o serviço industrializado, que se destaca meio ao setor, na cidade, que segue uma linha doméstica, com preço não muito diferente.

 

 

E ai, deu vontade de ser um franqueado? Para entender melhor como ser um franqueado é só clicar nos link abaixo:

Eu ainda tenho dúvidas…

Continuo com dúvidas!

Quanto custa?

Dá para ficar rico?

Xi… não tenho muito dinheiro para investir…

Mas e seu eu quiser trabalhar em casa?

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: