Skip to content

Representação política na Câmara Federal para a população de Juiz de Fora

Por Karina Klippel

Postado em 11/11/13

Com a aproximação das eleições 2014, os partidos políticos já estão se articulando para lançar os candidatos ao cargo de deputado federal no próximo ano. Veja na matéria Preparação para eleições 2014 em Juiz de Fora, de Alessandra Macedo.

Mas, e a população, o que pensa sobre isso?

O JFhipermídia foi às ruas consultar a opinião pública sobre os atuais deputados federais.

Os representantes dos juizforanos na Câmara Federal são, por enquanto, os deputados Marcus Pestana PSDB-MG, Margarida Salomão PT-MG e Julio Delgado PSB-MG.

Ao todo conversamos com 10 pessoas. No entanto, destes entrevistados, apenas 3 aceitaram gravar vídeo com sua opinião. Os demais cidadãos disseram que tratando-se de política, preferem não se identificar. Durante a apuração ficou claro que o motivo principal desta preservação da imagem é o medo. Muitos comentaram do receio que sentem em dizer com o que estão ou não de acordo quando se trata de política. 

Deste grupo, 5 pessoas não lembravam em qual deputado havia votado nas eleições de 2010. E entre eles, a maioria preferia não se identificar por sentir vergonha em dizer que não lembrava do seu candidato. Apesar disso, todos eles comentaram sobre o atual quadro político. Uma parte disse não sentir nenhum tipo de representação, por considerar que os deputados estão muito distantes. Neste caso, a distância não seria apenas física, segundo este grupo de entrevistados, mas também por não sentir uma proximidade entre as propostas de lei e a cidade. 

Outros dois entrevistados nunca votaram. Um deles – o mais jovem – possui 16 anos e diz que não quer tirar título de eleitor (documento que dá a permissão para o cidadão votar e, no Brasil, pode por lei ser emitido quando o cidadão completa os 16 anos de idade) por duas razões: primeiro, porque não acredita que seu voto vá fazer alguma diferença no cenário político; e segundo, porque não se sente preparado para votar, pois não se considera uma pessoa ativa politicamente.

No entanto, o outro entrevistado que nunca votou, tem razões diferentes para isso. Aos 17 anos, ele diz não saber já poderia tirar o título de eleitor. O estudante está no último ano do ensino médio, e estuda em escola pública. Sua maior crítica é em relação às condições da Educação no país. Segundo o estudante, independente dos deputados de Juiz de Fora que estão na Câmara, todos eles dão pouca atenção à rede pública de ensino. Para ele, sua maior tristeza é sentir que as oportunidades são absolutamente diferentes para estudantes de uma escola particular e uma pública.

Ele não acredita que consiga passar numa Universidade como a UFJF, por exemplo. E explica que, para ele, as principais barreiras são a enorme concorrência, mas principalmente a falta de preparo. Ele comenta sobre o sistema de cotas. E reforça não concordar de forma alguma com isso, pois esta possibilidade “mascara o real problema” e não resolve o que de fato está faltando, que na opinião dele, é a educação.

Os demais entrevistados se apresentaram e gravaram vídeo opinando especificamente sobre os candidatos em que votaram. O primeiro deles foi Geraldo Balduchi, eleitor de Marcus Pestana. Assista ao vídeo com a opinião dele sobre a atuação do deputado na Câmara:

Durante a conversa, Balduchi, 63 anos, comentou que se sente representado também pelo deputado Júlio Delgado. Segundo ele, apesar de não ter votado no deputado, gosta das intervenções que ele tem na Câmara em questões de saúde. Um exemplo, seria a proposta para fiscalização de planos de saúde.

Já Flávio Vaz, 35 anos, é eleitor de Margarida Salomão. Ele explica porque sente a representação da candidata de forma parcial. Assista ao vídeo para entender o porque ele questiona a atuação da candidata no contexto da segurança pública e como ele se sente representado por ela no Distrito Federal.

Da mesma forma que Flávio, Henrique Simões, X anos, é eleitor de Margarida. Ele explica porque votou na candidata e como se sente representado.

Ao comentar sobre voto partidário e ideologia Henrique traz uma questão, observada durante nossas entrevistas à tona. Neste pequeno grupo de cidadão, se compararmos ao número da população de Juiz de Fora, pudemos observar ainda a falta de posicionamento político em Juiz de Fora. Por isso, conversamos com o cientista político Rubem Alves para explicar um pouco de como está a separação atual dos partidos e como funciona o divisão de direita e esquerda política hoje. 

Para finalizar o cientista faz uma previsão para as Eleições 2014. Ele leva em consideração o contexto político brasileiro, e por isso mesmo, não ignora as manifestações que ocorreram em julho deste ano em todo o país. Ouça o que ele tem a dizer sobre o assunto!

Curiosidade

Você sabe como são feitos os projetos de lei? Clique aqui e entenda!

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: