Skip to content

Galerias e museus: opção cultural para os juiz-foranos

Por Letícia Moraes

Há quem diga que Juiz de Fora não apresenta muitas opções de lazer para seus habitantes. Muitos reclamam da falta de atividades culturais e acabam se limitando aos programas de sempre: ir ao shopping no final de semana ou jantar em um bom restaurante. Mas será que os juiz-foranos conhecem todas as suas opções? Durante as próximas linhas você vai fazer uma viagem pela cidade, conhecendo sete espaços culturais que podem ser desfrutados por você:

Prédio histórico do Museu Mariano Procópio

Prédio histórico do Museu Mariano Procópio

1) Museu Mariano Procópio, o mais famoso: símbolo da memória histórica nacional e um dos cartões postais de Juiz de Fora. É considerado o segundo acervo mais importante do Brasil Império, com mais de 50 mil itens de valor artístico, histórico e científico. Atualmente, os edifícios estão passando por obras de restauração, mas o Parque Mariano Procópio está aberto para visitação pública, com entrada gratuita, de terça a domingo das 8h às 18h. A psicóloga Maria Helena tem o hábito de levar os filhos para passear no Parque durante os finais de semana: “Sempre que posso, levo as crianças para dar uma volta por lá. Gosto muito do ambiente e acho importante que elas tenham esse contato com a natureza. É uma pena que a parte histórica do museu ainda esteja sendo reformada, porque tem muitas coisas interessantes lá dentro. Espero que fique pronto logo!”, afirma.

Exposição Juiz de Fora – Verbo e Cor, em cartaz no Mamm

Exposição Juiz de Fora – Verbo e Cor, em cartaz no Mamm

2) Museu de Artes Murilo Mendes (Mamm): pertencente à Universidade Federal de Juiz de Fora, possui um dos acervos mais importantes de Minas Gerais. São mais de 300 obras assinadas por grandes nomes, como Picasso, Miró e Portinari. O espaço também possui laboratórios de conservação e restauração de obras de arte, duas galerias destinadas à exposição e biblioteca com mais de 8 mil livros. As visitações vão de terça a sexta, das 9h às 18h e de sábado a domingo, das 13h às 18h.

3) Museu Ferroviário: uma boa opção para você conhecer a história da ferrovia na cidade e ter contato com aspectos técnicos das estradas de ferro. O seu acervo vai de sinalizadores a miniaturas de trens, passando por fotografias e livros técnicos. A visitação acontece de segunda a sexta, das 9h às 17h. Além do rico acervo o Museu Ferroviário oferece para a comunidade o espaço “Estação Arte” – composto por um Anfiteatro e uma Sala de Multimeios, para atender a demanda de grupos que necessitam de um local para expressão artística, lazer e entretenimento cultural. Por lá, acontecem oficinas de dança e yoga e encontros culturais, que completam a programação.

4) Museu do Crédito Real: é o sexto museu do mundo destinado à preservação da memória monetária e bancária, ao lado de pioneiros como o Chase Manhatan, em Nova York. O Banco do Crédito Real foi inaugurado em 5 de setembro de 1889, iniciando suas atividades em meio às dificuldades motivadas pela crise econômica, política e social provocada pela abolição da escravatura. O prédio, em que funcionava o banco, foi tombado em 1992 pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento da Prefeitura de Juiz de Fora . Atualmente, o seu acervo abriga mais de cédulas e moedas, desde o período colonial até a atualidade, além de fotografias, filmes e documentos, como balancetes, notas promissórias, transferências e cheques. A visitação é gratuita e acontece de segunda a sexta, das 9h às 18h. Confira a visita que o programa “Carona”, da TV Integração, fez ao museu.

5) Fórum da Cultura: foi criado em 1971 pelo reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora, Gilson Salomão. Desde então, promove o encontro da população com mostras de artes plásticas e espetáculos teatrais, além de difundir a cultura popular e a música. Você pode visitar o Fórum de segunda a sexta das 14h às 20:30h.

galeria heitor de alencar

Galeria Heitor de Alencar, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas

6)    Centro Cultural Bernardo Mascarenhas: o espaço abriga diversas galerias, que servem de palco para a promoção da arte na cidade e podem ser visitadas pelo público. As galerias Celina Bracher e Heitor de Alencar são abertas aos artistas em geral através de processo seletivo, julgado por uma comissão indicada pela Funalfa. Já a Galeria Arlindo Daibert e o Espaço Alternativo são reservados para propostas da Funalfa ou convidados. O Centro Cultural é uma bela opção de lazer para todas as idades! Basta se interessar por cultura!

7)    Espaço Cultural Correios: o prédio, tombado pelo patrimônio histórico municipal, é de 1935 e conserva em si a história de tempos áureos da Manchester Mineira. A inauguração do espaço cultural aconteceu em 2007 e desde então, integra um circuito de arte, história e cultura disponível gratuitamente para quem passa pelo centro de Juiz de Fora, de segunda a sexta, de 10h às 18h e aos sábados, de 10h às 14h. Confira a programação deste mês.

Agora que você já conhece alguns dos espaços culturais da cidade, anote todos os endereços e faça a sua programação!

Museu Mariano Procópio: rua Mariano Procópio, 1.100 – Mariano Procópio

Museu de Arte Murilo Mendes (Mamm): rua Benjamin Constant, 790 – Centro

Museu Ferroviário: Avenida Brasil, 2001 – Centro

Museu do Crédito Real: rua Getúlio Vargas, 455 – Centro

Fórum da Cultura: rua Santo Antônio, 1.112 – Centro

Centro Cultural Bernardo Mascarenhas: Avenida Getúlio Vargas, 200 – Centro

Espaço Cultural Correios: rua Marechal Deodoro, 470 – Centro

 Projeto “Coletivo Cultural” promove integração entre a arte e a comunidade

Semanalmente, o projeto realizado pela Pró Reitoria de Cultura da UFJF, “Coletivo Cultural”, leva crianças e adolescentes para uma visita ao Museu de Artes Murilo Mendes (Mamm). Para o pró-reitor de Cultura da UFJF, Gérson Guedes, idealizador da iniciativa, o projeto aproxima a comunidade do ambiente cultural da cidade, cumprindo o papel do núcleo: “temos o compromisso de aproximar a Cultura de toda comunidade. Criar um espaço maior para os alunos e um espaço maior para que a comunidade possa ter acessibilidade, é a cultura da acessibilidade a todos.”, afirma.

O projeto, que começou no início de 2013, já levou centenas de crianças e jovens a visitarem um Museu pela primeira vez. O educador cultural do Mamm, Vinícius Steinbach, é o responsável por acompanhar todas as visitas e falou um pouco mais sobre o projeto:

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: