Skip to content

Um vilão silencioso

Cerca de 5 milhões de mortes por ano acontecem por fatores atribuídos ao tabaco

 por Jéssica Dias

IMG_7135

Campanha anti-fumo – Jéssica Dias

Você é uma daquelas pessoas que se incomoda com alguém fumando ao seu lado? Sai de manha com os cabelos lavados, chega ao seu local de trabalho que, teoricamente deveria ser proibido fumar, e ao final do dia parece também ser fumante devido ao cheiro impregnado nos fios e roupas? Ou está parado no ponto de ônibus e é obrigado a se afastar pra fugir da fumaça de um fumante ao lado? Saiba que o uso do tabaco oferece vários riscos a saúde, inclusive a você que se torna um fumante passivo.

Segundo a mestre em saúde com especialização em tabagismo, Tatiane Campos, os riscos para um fumante passivo são os mesmos de um fumante ativo. “O fumante passivo possivelmente desenvolverá todas as doenças em consequência da inalação do produto do tabaco que o fumante ativo têm risco de adquirir”.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 5 milhões de mortes por ano acontecem por fatores atribuídos ao tabaco. A estimativa é que esse número aumente para 8 milhões dentro de duas décadas, sendo 80 % desse total em países com menor renda.

Em cada tragada, o fumante inala 7.000 substâncias diferentes, sendo 4.700 delas conhecidas. A nicotina está entre elas, mas, ao contrário do que muitos acreditam, é a que menos faz mal à saúde. “A nicotina é apenas a causadora da dependência. O alcatrão é o maior vilão, principal causador de câncer. Também há dentre os componentes acetona, formol, mercúrio, naftalina, níquel, monóxido de carbono, dentre outros, e todos são causadores de problemas de saúde”, afirma Tatiane.

Assista o vídeo e veja o que o cigarro pode causar em seu corpo

Mas para deixar de fumar não basta apenas querer. “O melhor tratamento é o que contém na abordagem astrês formas de dependência que o tabaco causa. A abordagem cognitivo comportamental, através das cessões de tratamento em grupo e o tratamento medicamentoso associado são as melhores formas de conseguir sucesso na cessação”, declara a mestre em saúde. Há pessoas que também necessitam de um apoio maior para deixar o fumo. “Alguns usuário necessitam de abordagens individuais com psicólogos para realização de trabalhos específicos sobre alguns pontos que dificultam a cessação”.

Apoio psicológico. Para a auxiliar em serviços gerais, Eliana Pereira, isso pode ter faltado. Decidida a largar o fumo após 37 anos sendo dependente do tabaco, ela acabou substituindo um vício por outro. “Sentia muito cansaço fazendo qualquer coisa. Um dia fui ao médico e ele me disse que se eu quisesse continuar vivendo, deveria parar de fumar. Nunca mais coloquei um cigarro na boca. Mas depois disso, comecei a beber cada vez mais. Acho que substituí um vício por outro” declara a auxiliar.

???????????????????????????????

Roseluce fuma desde os 14 anos – Jéssica Dias

Segundo pesquisa que avalia políticas de combate e controle do tabagismo (ITC) em 20 países, 80% dos fumantes já tentaram parar com o vício. As razões mais comuns para os fumantes pensarem em desistir de fumar e que os ex-fumantes citaram como motivo para parar, foram preocupação com a sua saúde (89%), preocupação com os efeitos da fumaça do cigarro sobre os não fumantes (69%), para dar exemplo para as crianças (67%).

A atendente Roseluce Gomes, esteve entre as estatísticas por sete meses. “Durante minha gravidez não fumei nenhum cigarro.
Infelizmente perdi o bebê e voltei a fumar também. Não sei dizer se foi um estado de tristeza que me fez voltar, mas desde então não tentei parar de novo”.

Para criar um estímulo para que os dependentes do cigarro mudem de vida, encorajando-os a terem um dia inteiro de abstinência, desde 1987 a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o dia 31 de maio como Dia Mundial Sem Tabaco. Em Juiz de Fora, a Secretaria de Saúde realizou uma ação de conscientização e prevenção sobre os prejuízos à saúde causados pelo uso do cigarro.

De acordo com a Secretaria de Saúde, até maio do ano passado, 31 pessoas haviam morrido em decorrência de câncer de pulmão, causado pelo fumo. Durante o ano de 2012, 87 pessoas vieram a óbito. Porém há um dado mais positivo: em 2013, 918 pessoas procuraram ajuda para largar o vício. Dessas, 505 pessoas conseguiram parar de fumar, ou seja, mais 50% dos que procuraram apoio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: