Skip to content

Futebol e/é religião? Tabela com versículos da Bíblia promove evangelização durante a Copa

por Victor Carneiro
Postado em 02/07/2014

No título: "Torcendo Juntos, também proclamamos a Cristo".

No título: “Torcendo Juntos, também proclamamos a Cristo”.

“A copa acontece de quatro em quatro anos, a salvação é agora”, com esse convite ao maior Campeonato do mundo _e a religião_  a tabela de jogos formulada pela Paróquia Sagrado Coração de Jesus pretende aliar duas grandes paixões do brasileiro: o cristianismo e o futebol.

Segundo o Padre, o objetivo da tabela é colocar a Palavra no coração das pessoas.

Segundo o Padre, o objetivo da tabela é colocar a Palavra no coração das pessoas.

A ideia da criação de uma tabela “cristã” e a realização do projeto em quase três mil exemplares impressos foi do Pe. Tarcísio Monay, que usou a Copa do Mundo como uma motivação para chegar aos fieis mais distantes da igreja. “A pretensão é levar a palavra de Deus não só na igreja. Pensei que as pessoas aqui já têm esse contato, mas poderiam dar para um filho que está afastado, um jovem, adolescente”, relata. Como toda tabela, a distribuída gratuitamente pelo Pe. Tarcísio contém fase de grupos, oitavas, quartas, semi-finais e finais.

A grande diferença são os 65 versículos distribuídos pelos jogos da competição. Um versículo por jogo, a tabela busca contar um pouco da história da bíblia no decorrer da Copa do Mundo: do gêneses no Antigo Testamento, passando pela diáspora dos judeus e o testemunho de Moisés, até o Novo Testamento com a Paixão de Cristo e o Pentecostes.  

No primeiro jogo da Copa, o primeiro livro da Bíblia. Gênesis.

No primeiro jogo da Copa, o primeiro livro da Bíblia. Gênesis.

Com o decorrer do mundial, as surpresas nos resultados dos jogos criaram algumas coincidências que aumentam a curiosidade sobre a tabela. No último jogo do Grupo C, Grécia contra Costa do Marfim, por exemplo, o versículo era “Não furtarás. Ex 20,15”; durante o jogo, a arbitragem se envolveu em diversos lances polêmicos e errou em muitos deles levantando o coro de “juiz ladrão” da torcida. Quem também ignorou o mandamento correspondente a sua partida foi a seleção da Costa Rica; a maior surpresa da fase de grupos despachou a Inglaterra de vez, eliminando os ingleses da Copa do Mundo, “Não matarás. Ex 20, 13”. Em outro caso, em uma das disputas mais monótonas da Copa, Honduras empatou com o Equador pelo resultado mínimo; jogo sem graça, com poucas chances de gol e o versículo: “O Senhor te abençoe e te guarde” – zero a zero no placar.

Há onze dias do fim da Copa do Mundo, a tabela é seguida a risca pelos torcedores-fiéis. “Ganhei quatro tabelas da copa (de lojas, patrocinadores e prestadores de serviços), mas continuo marcando só a da igreja. Ela é mais interativa, e, por ter o atrativo dos versículos, até minha avó participa anotando os placares”, relata o estudante universitário Lucas Fonseca. A interatividade aumenta na marcação da segunda fase. Inclusa na tabela, uma cartela de adesivos com a bandeira de cada seleção marca o lugar dos classificados. Quando a seleção brasileira passou em primeiro lugar na fase de grupos, por exemplo, era possível colar o adesivo do Brasil no primeiro confronto das oitavas de final. Após ganhar do Chile, outra figurinha da Canarinho deverá ser colado, dessa vez na disputa das quartas. Com a família toda participando, Lucas Fonseca deixa a parte de colar os adesivos para o primo mais novo. “Só faço questão mesmo de colar o quarto adesivo da seleção brasileira, o último, correspondente a ‘Final’”, brinca.

À partir das oitavas, os adesivos das seleções classificadas devem ser colados seguindo a disputa.

À partir das oitavas, os adesivos das seleções classificadas devem ser colados seguindo a disputa.

Olhar da Igreja na Copa

O pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, do bairro Bairu em Juiz de Fora, diz ter baseado a criação da tabela em uma cartilha desenvolvida e distribuída pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), órgão máximo representativo fé católica no país. “A CNBB fez um folder que diz que devemos receber bem as pessoas que vêm de fora, realizar uma festa boa na paz. Não obstante, sabemos que existem os problemas do nosso país”, completa o Pe. Tarcísio Moray. Chamado de “Copa do Mundo Dignidade Paz”, o folheto expõe pontos positivos e negativos da preparação do mundial da FIFA no Brasil. Na coluna chamada “Cartão Vermelho”, um dos oito pontos de crítica da Pastoral do Turismo da CNBB é “a inversão de prioridades para com o dinheiro público que deveria servir, prioritariamente, para a saúde, educação, saneamento básico, transporte e segurança”.

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: