Skip to content

Associação debate como melhorar a acessibilidade em JF

por Vaninha Black

Andar pelas ruas e calçadas  de Juiz de Fora, já é uma tarefa difícil para quem não tem deficiência física, imagina para quem tem.

 

Ruas esburacadas ou bastante estreitas com postes ou árvores no meio do caminho, ou ainda orelhões,  o tempo do sinal para o pedestre que é curto, nos principais cruzamentos do centro, fatores questionáveis para quem precisa se locomover para trabalhar, estudar ou outras necessidades.Também em prédios públicos ou privados há certa dificuldade.A acessibilidade é um dos assuntos sempre debatidos em mesa de debates e questões políticas.

Aqui em Juiz de Fora, há uma associação que se reúne para discutir os problemas  e possíveis soluções, a associação “Grupo Incluir JF”  criada em meados do ano passado, tem o objetivo de melhorar as condições . Uma das coordenadoras gerais do grupo, Patrícia Pogianelo conta como surgiu o grupo “ A princípio era somente uma reunião de pais, mas aos poucos foram chegando profissionais como psicólogos e fisioterapeutas, que estão dando orças para a divulgação da associação”.

No ano passado em parceria com a UFJF, realizaram seminários sobre a inclusão social na cidade, e neste ano não será diferente “A partir de maio, vamos começar um ciclo de palestras tirando as principais dúvidas”. Como o grupo não tem sede própria, eles se reúnem todas as terças-feiras, às 19h30 na Casa de Cultura”, destaca Patrícia. Ela ainda afirma que a acessibilidade em Juiz de Fora, como em todo o país está muito aquém  do esperado. “  A gente tá tentando melhorar [acessibilidade].Já conversamos com o secretário de trânsito, pra cobrar que até o final deste ano, todas as linhas de ônibus estejam adaptadas. Tem dez anos que essa existe essa lei estadual e ela tem que ser cumprida.”

Para saber mais sobre o trabalho da associação e suas novidade, clique aqui.

O vereador José Márcio Lopes Guedes, o Zé Márcio do Partido Verde (PV),  é presidente da “Comissão de Meio Ambiente, Transporte e Trânsito, Urbanismo e Acessibilidade” reconhece que precisa- se de melhorias“ Precisamos avançar muito. O papel da comissão é cobrar  a legislação específicas que obrigam a acessibilidade. Sabendo das calçadas e ruas que dificultam a travessia de pedestres deficientes físicos,  José Márcio é realista” È insuficiente (a legislação), não dá para melhorar toda a via pública, temos é que fiscalizar as leis”.

Na questão de prédios e estabelecimentos tombados pelo patrimônio histórico, a dificuldade é ainda maior “ No prédio tombado, nem sempre você pode promover uma reforma, depende do arquiteto, de sua criatividade para não prejudicar “ O vereador diz que a Comissão trabalha na busca de melhorias para a cidade e anuncia projetos da comissão “ para todo o segundo semestre deste ano, terá uma blitz de acessibilidade para vera questão dos espaços públicos como comércio, os bancos que serão alvos dessa blitz” .

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: