Skip to content

Resoluções mais concretas

Ainda que um acompanhamento profissional aumente as chances de as resoluções de Ano Novo serem cumpridas, é possível planejar-se sozinho para atingir os objetivos estipulados na virada do ano. A seguir algumas dicas:

  1. Reduza a quantidade: é improvável que se consiga mudar inúmeros da vida de uma só vez por causa de uma lista de resoluções de Ano Novo. É a própria quantidade de desejos colocados na lista de expectativas para “o ano que vem” que faz com que as pessoas a abandone. É preciso ter foco, saber o que quer e escolher cautelosamente poucos objetivos para que as ações sejam mais eficazes. Nada de promessas impossíveis. É necessário pensar em metas alcançáveis, seja através do trabalho ou de mudança de comportamento.
  1. Não postergue: depois de estabelecer o seu plano, faça uma cópia escrita, mantendo sempre ao alcance para que possa ser verificada. O que fica na memória acaba caindo no esquecimento ou é constantemente modificado. Feito isso, comece já a coloca-lo em prática. Esperar pelo próximo ano ou por outra determinada data para começar pode abrir espaço para agir ao contrário do planejado para o futuro, é simplesmente uma forma de se enganar.
  1. Divida objetivos em metas plausíveis: é importante saber diferenciar “objetivos” e “metas”. O objetivo é aonde se quer chegar, o ponto final. Para chegar a esse objetivo é necessário ter metas, que são prazos de desempenho. O conjunto de metas forma o objetivo final. Para conseguir maior eficácia, o ideal é definir um único objetivo e a partir daí definir metas alcançáveis e mensuráveis.
  1. Crie um plano de ação: das metas precisa ser feito um plano de ação, que neste caso simplificado pode tomar a forma de uma lista simples de atividades que conduzirão ao objetivo principal. Dividir as tarefas e realizar uma coisa por vez ajuda no aproveitamento do tempo e a não dispersar energia.
  1. Vá devagar: mudanças radicais não são atingidas de uma hora para outra. Seja gradual. Olhe as resoluções do ano passado, verifique o que fez e o que não fez a fim de não repetir as mesmas resoluções, pois serão abandonadas.  Após isso, defina seu plano de ação pensando grande, mas começando. Associe metas temporais, ou já preveja a periodicidade em que irá revê-las.
  1. Faça uma avaliação periódica do próprio desempenho: o acompanhamento sistemático é importante para estar em contato com o que está sendo feito e se empenhar mais. É possível definir em qual mês irá realizar determinadas atividades do seu plano. Por exemplo: se o objetivo é aprender francês básico para conhecer Paris no fim do ano e se março chegar e nem ao menos a matrícula no curso tenha sido feita, já é possível saber que os planos não estão indo bem. Se a intenção é emagrecer, faz-se necessário traçar metas realistas para cada mês. Mas não avalie apenas o efeito (a perda de peso), mas também os processos (número de horas de exercícios, redução de alimentos calóricos, etc.)
  1. Siga o plano: projetos pessoais definidos informalmente não têm grandes chances de sucesso se você não se esforçar para seguir o que planejou, ou para alcançar as metas que definiu.
  2. Aprenda com os próprios erros: mudanças de hábito são difíceis e não acontecem do dia para a noite, além de demandarem muita disciplina. Contudo, tentar cumprir uma resolução mais de uma vez e não conseguir não é de tudo ruim. Quando uma promessa não é bem sucedida, é possível avaliar o que não deu certo e evitar repetir os mesmos erros.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: