Skip to content

Faca de dois gumes: tecnologia pode ajudar ou atrapalhar o aprendizado

Por Monise Vieira

29/04/2014

A tecnologia está cada vez mais presente no mundo da educação, invadindo as salas de aula e permitindo que a interatividade e o maior – e mais rápido – acesso à informação cheguem aos alunos. Tablets, lousas digitais, datashow, redes sociais e sites educativos vêm se tornando grandes aliados dos professores na hora de ensinar.

Professor utilizando Tablets em sala de aula

Professor utilizando Tablets em sala de aula

Muitas escolas estão se adaptando a essa nova realidade e implantando novas formas de ensino para  enfrentar o conjunto de desafios do processo de ensino-aprendizagem. Essa nova metodologia pedagógica, que aposta no uso de tecnologias, também é conhecida como Educomunicação e vem sendo estudada e difundida por vários pesquisadores no país. Entenda melhor o conceito de Educomunicação.

A estudante Bárbara Gomes, de 16 anos, cursa o primeiro ano do ensino médio e conta que a sua escola adotou a Educomunicação, fazendo uso de tablets, jogos onlines e datashow durante as aulas. A aluna acredita que o uso de tecnologias nos estudos é positivo porque estimula o aprendizado de forma mais dinâmica e interessante, mas ressalta a importância de saber usar com moderação e consciência.

Ouça o áudio:

Bárbara afirma ainda que, diferente do material disponibilizado pela escola, os celulares são proibidos em sala de aula porque gera dispersão com redes sociais e aplicativos. Para ela o que atrapalha o aprendizado são as rede sociais e não a tecnologia.

Ouça o áudio:

A mãe da aluna, Denise Gomes, de 47 anos, não concorda muito com o uso dos gadgets em sala de aula. “Devemos, sem dúvida, acompanhar a tecnologia, mas estamos vivendo praticamente em um mundo virtual e acho que isso vem prejudicando muito. Na minha época, por exemplo, éramos obrigados a ir às bibliotecas para fazermos pesquisas, líamos mais e passávamos conteúdo para o caderno. Acredito que aprendíamos mais. Hoje em dia poucos usam livros, o que dificulta até mesmo a escrita do aluno”, afirma.

Denise ressalta que não é contra o uso da tecnologia na educação, mas que o professor deve ser cauteloso ao aplicar esse método. “É verdade que isso contribui para que o aluno se sinta mais vontade, mais descontraído e familiarizado com a educação, mas deve ser feita uma avaliação muito cautelosa por parte dos professores para saber se ele realmente está aprendendo o conteúdo dado”, afirma.

O coordenador do colégio em que a Bárbara estuda, André Carneiro, explica que os professores utilizam, em tablets e datashows, material disponibilizado pelo sistema de ensino usado pela escola. Além de poderem utilizar a internet caso queiram montar material inédito para levar para as salas de aula. Entretanto, ele ressalta que o uso da rede é limitado.

“A utilização da internet é limitada. Nós não temos o acesso à rede o tempo todo e quem usa os tablets são os professores e não os alunos. A intenção é que a aula fique mais interativa e moderna”, afirma.

Assim como Bárbara, André também acredita que a tecnologia é positiva, entretanto é necessário saber usá-la com consciência. E afirma que a Educação tem o dever de trabalhar isso nas escolas, para que o aluno compreenda que a tecnologia não é só entretenimento, mas também aprendizado.

Ouça o áudio:

Além de fazer uso da tecnologia dentro das salas de aulas, o colégio em que Bárbara estuda possui um site, onde pais e alunos podem acompanhar – munidos de login e senha – notas, tarefas de casa, atividades realizadas pela escola, entre outros conteúdos.

 

Benefícios e prejuízos vão além das salas de aula

O problema de dispersão e os benefícios trazidos pelos gadgets não estão presentes apenas nas escolas. O vendedor Conrado Alvim Fófano, de 26 anos, excluiu sua conta na rede social Facebook para poder se dedicar aos estudos em casa.

“Percebi que eu deixava de fazer tarefas ligadas ao meu trabalho ou deixava de estudar para usar o Facebook e notei também que eu tinha dificuldade em me concentrar depois de usar a rede”, comenta.

Internet disponibiliza cursos online e vídeo aulas

Na Internet são disponibilizados cursos online e vídeo aulas

Entretanto, Conrado conta que continuou usando o Twitter, outra rede social, para ter acesso às notícias de seu interesse. Ele afirma que a tecnologia o ajuda nos estudos, mas é preciso ter controle para não se dispersar.

“Acho que a tecnologia ajuda bastante, seja no caso de pesquisas, seja para ter acesso à mais informações, ou cursos online. Eu por exemplo, fiz um curso todo online que, no meu caso, foi muito melhor do que fazer presencial”, afirma.

O Professor de Educação Física Eduardo Borba, não dá aulas em sala, mas conta que já enfrentou problemas com alunos que usavam celular durante o treino.

“Eu não sou professor de sala de aula, mas mesmo assim já tive problemas com o uso de celular. Tive que proibir o uso do aparelho durante os treinos, porque alguns alunos deixavam a equipe na quadra para atender uma ligação, ou saíam no meio de uma explicação para checar mensagens. E aí a gente acaba perdendo a qualidade e o ritmo do treinamento”, afirma.

O professor, que atualmente treina a equipe de vôlei de Matias Barbosa, conta também que já precisou recolher os celulares dos atletas durante a noite para que eles pudessem ter um bom desempenho durante a competição.

“Ainda esta semana eu precisei recolher os celulares dos meninos pra eles dormirem, senão eles ficam até tarde conectados e não acordam bem pro jogo no dia seguinte”, comenta.

Não deixe o excesso de tecnologia atrapalhar os seus estudos

Para contribuir com o seu foco, confira algumas dicas do grupoimpactoweb de como afastar a atenção das “tentações” tecnológicas na hora de estudar.

  1. Computador: programe o seu uso e desligue o desnecessário
    É necessário auto-controle, porém há programas que restringem o acesso a sites a algumas horas do dia, bloqueando temporariamente. Quem utiliza o Firefox para navegar poderá recorrer à extensão LeechBlock para eliminar essas distrações virtuais. Já para o Google Chrome pode instalar o plugin StayFocusd e dizer adeus à procrastinação. Caso não esteja esperando nenhuma notícia importante, é recomendado desligar os telefones (fixo e celular) e claro, se afastar do messenger, que a toda hora interfere em suas atividades.
  1. Aproveite melhor o seu tempo
    Quanto tempo você gasta navegando na internet e em redes sociais? Comece a controlar e estabelecer horários para o uso dessas páginas. E mais: em boa parte dos casos, há comunidades virtuais para troca de experiências e dicas sobre seus estudos. Neste caso, se não há como eliminar as redes sociais da sua vida, faça com que, ao menos, essa interação seja mais produtiva…
  1. Fone de ouvidos
    Se você não tem tempo de estudar em casa e passa muito tempo na rua, aproveite alguns minutos para estudar. Às vezes é possível estudar no ônibus ou no carro, enquanto vai para o trabalho. Se seu recanto de dedicação não é tão calmo e silencioso, com interferência barulhenta de crianças, por exemplo, uma dica é apelar para fones de ouvidos. Lembre-se, é claro, de encontrar a música certa para o seu trabalho, ou seja, que não o distraia tanto quanto a conversa dos colegas. Usar fones de ouvido pode ajudar a criar a sensação de que o espaço ao redor foi reduzido e ajudará a manter o seu foco no que está à sua frente. Músicas apenas instrumentais – sem letras – podem ajudar a evitar a tentação de acompanhar o refrão… E caso a música esteja atrapalhando, experimente ruído branco ou até mesmo deixe os fones desligados, caso se sinta melhor assim.
  1. Desktop exclusivo
    Alguns aproveitam para estudar no computador, com materiais online ou digitais. Divida seu desktop criando uma outra conta de acesso. Nesta parte, você deve instalar apenas o essencial e bloquear os sites que possam te atrapalhar. Dessa forma, você não terá nem metade das distrações que costuma ter, já que não haverá serviços configurados com seus perfis.
  1. Psicologia da recompensa
    Proponha uma recompensa pelo seu esforço. Por exemplo: depois de X horas de estudos, ou de uma quantidade de matéria vista, você pode acessar um tempo a mais do seu email ou redes sociais. Esse é um método bastante utilizado por pais para controlar o tempo de acesso de seus filhos crianças ou adolescentes. Mas, atenção: se começar a perceber que o trabalho está perdendo espaço para a recompensa, esse método não serve para você.

 

 

 

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: