Skip to content

Salve, Jorge!

Leonardo Alves, Postada em 23 de abril de 2014

São Jorge: o santo guerreiro  (Foto: Reprodução)

São Jorge: o santo guerreiro
(Foto: Reprodução)

Hoje, dia 23 de abril, é celebrado o dia de São Jorge. O santo guerreiro é um dos mais populares do catolicismo e atrai milhares de fiéis de todas as idades e classes sociais em diversos lugares do país. Diversos cultos das religiões afro-brasileiras, também veneram São Jorge, sincretizado como Ogum. O santo também é padroeiro de países como Inglaterra, Portugal, Lituânia e Geórgia; de cidades como Londres, Moscou e a cidade brasileira de Ilhéus; além de ser padroeiro dos escoteiro, da cavalaria do Exército Brasileiro e do time paulistano Corinthians. O Rio de Janeiro adotou São Jorge como padroeiro secundário e desde 2008 é feriado estadual dia 23 de abril.

A data de 23 de abril, para homenagear o santo, foi escolhida por se tratar da data mais aceita para a morte de Jorge. Não se pode afirmar muita coisa sobre a origem de São Jorge, pois existem várias versões sobre suas histórias. Segundo a tradição, Jorge nasceu na Capadócia – região onde hoje está situada a Turquia – e desde a infância acreditou em Jesus Cristo como único Salvador.

Ao atingir a adolescência, Jorge entrou para o exército romano e aos 23 anos já exercia a função de Tribuno Militar. Naquela época, o imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos e no dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os romanos deviam se converter ao cristianismo. Ao ouvi-lo, o imperador mandou torturá-lo até que ele negasse a fé em Jesus, entretanto, Jorge continuou firme em sua crença e não fez o que o imperador queria. Insatisfeito com a postura de Jorge, Diocleciano mandou degolá-lo no dia 23 de abril de 303.

Paulo César se interessou pela história e virou devoto (Foto: Leonardo Alves)

Paulo César se interessou pela história e virou devoto (Foto: Leonardo Alves)

São Jorge atrai muitos devotos, que às vezes simpatizam por sua história. Esse é o caso do guarda municipal Paulo César Rocha. “Eu sou nascido no dia de São Cosme e São Damião, mas passei a ler sobre São Jorge e me interessei muito pela história do santo. Questão de fascínio mesmo pela tradição guerreira do santo”, disse.

A devoção de Paulo é tão grande que ele coleciona alguns itens em homenagem a São Jorge como corrente, camisa e imagem do santo. E segundo ele, a fé no santo guerreiro já lhe garantiu alcançar desejos no passado como conseguir uma entrevista de emprego. “Temos que fazer as coisas por onde, pois o santo não ajuda quem não corre atrás. Mas com fé, eu já fui atendido”, afirmou o guarda-municipal

 

São Jorge na Umbanda

Ogum: o general da Umbanda (Foto: Ilustrativa)

Ogum: o general da Umbanda (Foto: Ilustrativa)

São Jorge na Umbanda representa Ogum, o orixá protetor contra as guerras e contra as demandas espirituais. Como resultado do sincretismo religioso que se deu durante o período da escravatura no Brasil, cada orixá foi associado a um santo católico, devido à imposição do catolicismo aos negros. Os escravos se viam obrigados a disfarçar a crença nos orixás na roupagem dos santos católicos, para manterem seus deuses vivos.

Ogum é também o protetor dos militares, de todos os seguidores da Umbanda e também daqueles que sofrem perseguições materiais ou espirituais. Ogum é o guerreiro, general destemido e estratégico, é aquele que veio para ser o vencedor das grandes batalhas, o desbravador que busca a evolução.

Segundo a lenda, é o defensor dos desamparados, já que andava pelo mundo comprando a causa dos indefesos, sempre muito justo e benevolente. Era o ferreiro dos orixás, senhor das armas e dono das estradas. Traz na espada tudo o que busca.

Na Associação Religiosa Reino de Ogum, situada no bairro Progresso, se comemora a data de hoje com festa. De acordo com Ozeias Carlos, integrante da associação, a feijoada é um elemento indispensável. “Festejamos o dia de Ogum com feijoadas de feijão vermelho, utilizando para o preparo tudo que se costuma utilizar em uma feijoada comum, menos partes como orelhas e pé de porco. O feijão é um grão que na umbanda é considerado como um grão de ogum. Nestas festas também comum se oferecer pães”, disse Ozeias.

Ainda de acordo com Ozeias Carlos, da Associação Religiosa Reino de Ogum, “Na Umbanda, São Jorge é o responsável por guerrear contra as forças espirituais negativas para defender aqueles que nele tem fé.  Os umbandistas costumam cultuar o santo guerreiro com velas de cor branca ou azul escuro em número de 1 ou 7. O dia da semana destinado a Ogum é toda terça-feira”, completou.

 

Inspiração musical

 O santo guerreiro também serviu de inspiração para muitos compositores. Diversas músicas possuem referência a São Jorge, desde canções da música popular brasileira e do samba até do rock internacional. Abaixo, confira uma seleção com algumas das canções que exaltam o santo.

 

 São Jorge em destaque

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

One Comment
  1. Jaqueline permalink

    Parabéns meu filho excelente trabalho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: